> Dia a dia e produtividade



Pesquisas mostram que a satisfação dos funcionários aumenta a produtividade, mas o que faz uma empresa ser o melhor lugar para se trabalhar?

“Segundo Levering, o melhor lugar é aquele no qual você confia nas pessoas para quem trabalha, tem orgulho do que faz e gosta das pessoas com quem trabalha”.

“Em época de competência e resultados, as empresas estão tomando consciência de que o clima é um fator que afeta diretamente a produtividade e a qualidade”, diz Ênio Resende.

Os principais motivos de insatisfação, segundo ele, são injustiça salarial, falta de comunicação e de perspectivas de crescimento, dificuldades no relacionamento entre as áreas da empresa e falta de valorização do funcionário.

Outra situação importante, mas que acontece antes e após a jornada de trabalho, surgem no trajeto para o trabalho e no retorno para casa devido aos constantes problemas de congestionamento que tem um impacto direto na produtividade das pessoas das grandes cidades.

Um estudo inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostrou que quando um trabalhador em Osasco ou na Grande São Paulo demora para chegar ao local de trabalho entre 40 e 80 minutos além do tempo normal, sua produtividade cai entre 14% e 20%.

PROGRAMAS DE BEM ESTAR FÍSICO E MENTAL

Empresas estão desenvolvendo programas para ter funcionários sadios, menos estressados e adeptos de hábitos saudáveis como exercitar-se, não fumar e alimentar-se bem entre outros. Não se trata de excluir os obesos, os sedentários e fumantes, mas de colher os frutos de um programa com o objetivo de melhorar a qualidade de vida desses trabalhadores e, consequentemente, os resultados da própria empresa.

Há muitas empresas investindo na qualidade de vida de seus funcionários e já estão colhendo resultados como: redução de gastos com assistência médica, menos faltas ao trabalho e funcionários mais satisfeitos. Ainda não há muitas pesquisas que apontem ganhos com produtividade, mas consultores e representantes de empresas que adotaram programas nessa linha são unânimes em afirmar que os efeitos são sempre positivos.

Embora as empresas já tenham constatado os benefícios para ambas as partes, os programas de qualidade de vida ainda são tímidos se comparados àqueles desenvolvidos para obtenção dos certificados internacionais ISO.
Ana Cristina Limongi França (professora da F.E.A. U.S.P.) sorteou 48 empresas entre 180 que obtiveram ISO 9000 e constatou que apenas 20% implantaram programas efetivos como centro de ginástica, atendimento às famílias dos funcionários e prevenção de acidentes.

As principais vantagens dos programas são: redução das despesas com assistência médica, seguro de vida e a queda do absenteísmo, lembra o presidente do Grupo Catho, Thomas Case.

A gerente de recursos humanos de uma empresa de São José dos Campos que desenvolve desde 1.988 diversos projetos para o seu quadro de 1.800 empregados relata que as ações começaram com o desenvolvimento da capacitação técnica, acrescentou-se uma programação direcionada para relações humanas, passando posteriormente para um programa de qualidade de vida com apresentação de palestras mostrando como atingir objetivos, sejam profissionais ou pessoais (perder peso, parar de fumar, conquistar um diploma).

Esse programa mostrou resultados positivos para empresa e para os funcionários, pois houve melhora nos aspectos físicos e de relacionamento intrapessoal e interpessoal, melhorando o ambiente da empresa.
Emilio Marchetti e Márcio Macarini
Outubro/2012