> Respiração



Poderíamos começar pela explicação convencional, mas há uma ilustração muito interessante no site www.smartkids.com.br que exponho abaixo na íntegra:

Untitled-4

RESPIRAÇÃO – A INCRÍVEL VIAGEM DO AR!

“É pelo nosso nariz que o oxigênio embarca na aventura da respiração.
Os pelos de dentro do nariz servem como filtro, seguram as sujeirinhas que podem estar no ar.
Depois de passar pela barreira de pelos, o oxigênio começa a grande viagem.
Passa pela laringe e depois por um longo túnel, a traquéia. Entra nos brônquios, que são os canais que dão acesso aos pulmões!

E assim o pulmão se enche de ar… Nosso corpo está inspirando.

Ao entrar no pulmão, o oxigênio vai até os alvéolos, que parecem uvinhas. Lá dentro, troca de lugar com o gás carbônico. Em seguida o oxigênio segue viagem de carona nas hemácias, ou glóbulos de sangue que parecem com bóias vermelhas descendo um rio!

E o gás carbônico? Faz o caminho de volta! Sobe todo o caminho passando pelos brônquios, traquéia, laringe… Até sair do nosso corpo pelo nariz outra vez!

E o pulmão se esvazia… é a expiração.

Toda essa viagem ocorre em menos de 5 segundos e sem parar, sabia? Incrível!”

Voltando ao mundo adulto, na linguagem popular, respiração é o ato de inalar e exalar ar através da boca e  do nariz para que ocorram as trocas gasosas ao nível dos pulmões.

Do ponto de vista fisiológico, respiração é o processo pelo qual um organismo vivo troca oxigênio e dióxido de carbono com o seu meio ambiente.

Todavia cabe lembrar que a respiração é um processo involuntário, mas pode também acontecer de forma consciente e voluntária, através de exercícios realizados de forma cuidadosa, trazendo inúmeros benefícios para a saúde.

Capacidade pulmonar

O volume total de ar do sistema respiratório é a capacidade pulmonar total (CPT) e corresponde em um adulto, a mais ou menos 6 litros.

Assim, respiramos cerca de 6 litros de ar por minuto, que coincidentemente é o volume de sangue que o coração bombeia a cada minuto.

Apesar desse volume, a cada movimento respiratório normal em repouso, os pulmões trocam com o meio exterior apenas 0,5 litro de ar, que é chamado de volume ou ar corrente.

Capacidade vital

Ao realizar uma inspiração forçada e em seguida uma expiração também forçada máxima, o volume de ar que expelimos pode chegar a cerca de 4,5 ou 5 litros.

Volume de ar residual

Cerca de 1,2 a 1,5 litro que fica nos pulmões e que não conseguimos expulsar, mesmo após um respiração forçada. Os pulmões nunca se esvaziam completamente.

Músculos envolvidos no mecanismo respiratório

  1. Músculos intercostais fazem o peito expandir quando eles contraem.
  2. Músculos entre o pescoço e o tronco podem se contrair para aumentar o volume da caixa toráxica.
  3. Músculos do diafragma: quando inspiramos, puxamos o diafragma para baixo e quando expiramos, relaxamos os músculos do diafragma. A força elástica nos pulmões faz o diafragma retornar a sua posição neutra, fazendo o ar fluir para fora dos pulmões sem qualquer esforço muscular ativo.

Curiosidades

  • Hipócrates, pai da Medicina, afirmava: “a respiração é o ritmo básico da vida”.
  • Um adulto respira em média 8.000 litros de ar a cada 24 h e neste mesmo período cerca de 17.000 litros de sangue são purificados em seus pulmões.
  • Pessoas que respiram superficialmente acabam privando o próprio corpo de oxigênio. Faça exercícios ao longo do dia e sinta a diferença.
  • Respirar profundamente eleva o nível de oxigênio no sangue e combate a ansiedade.
  • O soluço é uma contração involuntária do diafragma, músculo que separa o tórax do abdômen e que, juntamente com os músculos intercostais externos, é responsável pelo controle da respiração.

O soluço surge quando ocorre uma irritação do nervo frênico (Nervo motor do diafragma. As fibras do nervo frênico se originam na medula espinhal cervical, a maioria na C4 e correm através do plexo cervical até o diafragma), causado por ingestão de bebidas com gás; deglutição de ar ou alimentação em grande volume; mudanças súbitas da temperatura de alimentos ingeridos; modificações da temperatura corporal, como sauna seguida de ducha gelada; ingestão de bebidas alcoólicas e até gargalhadas. Quando ocorre, por exemplo, um desses fatores, uma mensagem pode ser enviada ao cérebro para o diafragma se contrair, o que dispara o soluço.

  • Susto cura soluço?

Quando levamos um susto, provocamos involuntariamente uma forte inspiração ocorrendo  um aumento do volume de ar nos pulmões. Os pulmões pressionam o diafragma fazendo com que ele se estique e volte a funcionar normalmente.

7) O que é o  espirro?

Ocorre após uma irritação das vias nasais. Uma série de reações acontece e grande quantidade de ar passa rapidamente pelo nariz, ajudando, assim, a limpar as vias nasais, podendo atingir 150 Km/hora, além de espalhamos  aproximadamente 40 mil gotículas de saliva. Assim, o espirro é uma fonte de transmissão de doenças respiratórias.

8) Segundo dados da organização Mundial da Saúde, 70% das pessoas respira errado.

O coreto é inspirar pelo nariz, pois há filtros naturais e o ar chega mais quente aos pulmões e expirar pelo nariz e boca. Esse processo natural também nos ajuda a verificar se estamos com dificuldade de inspirar pelas narinas.

9) A respiração ofegante também é um sinal para detectarmos o estresse juntamente com  outros fatores como pés e mãos frios e suados, musculatura tensa nos ombros e maxilar, além de outros sinais emocionais. Fique atento(a)!

 

Exercícios Respiratórios propostos por Conceição Trucom

Cada exercício deve ser repetido por 3 vezes de forma calma e atenta.

Untitled-5

Inalar: enlaçar as mãos para fechar os circuitos. Erguer as mãos sobre a cabeça (manter perto da cabeça). Sempre tentar separar as mãos, como testando a força de selagem deste circuito, mas não soltá-las.
Exalar: baixar os braços, mantendo as mãos enlaçadas.

Untitled-6

Inalar: palmas das mãos para cima, pontas dos dedos encostados. Iniciar do quadril e ir erguendo as mãos até acima da cabeça.
Exalar: separar alongando os braços. Baixar lateralmente com as palmas das mãos para baixo.

Untitled-7

Inalar: erguer os braços lateralmente como traçando um círculo em torno da cabeça. Quando chegar ao topo, manter mãos unidas em oração acima da cabeça.
Exalar: pressionando palmas das mãos juntas, baixar e manter frente ao cardíaco.

Untitled-8

Inalar: palmas das mãos para cima. Erguê-las juntas desde o quadril até altura dos ombros. Separar mãos lateralmente, alongando, como se estivesse afastando paredes, representando o limite do espaço que sua aura ocupa.
Exalar: relaxar mãos e braços e baixar lateralmente.

Untitled-9

Inalar: palma da mão direita para cima apontando o céu, palma da mão esquerda para baixo, apontando a terra. Alongar os braços como tentando “separar o céu da terra”.
Exalar: inverter posição dos braços.

Untitled-10

Inalar: braços relaxados na lateral do corpo.
Exalar: braço esquerdo baixado, direito erguido. Palmas idem. Torcer o tronco até enxergar o calcanhar oposto. Repetir invertendo os braços e o sentido de rotação.

 

 

Emilio Marchetti e Márcio Macarini
Julho/2013