> Mais uma vez, a atividade física no seu caminho



Neurociência é o estudo do sistema nervoso, sua estrutura, desenvolvimento, funcionamento, evolução, relação com o comportamento e a mente e suas alterações.

De acordo com especialistas, entender como o cérebro funciona pode ser um boa estratégia para a performance profissional, pois mostra que o desenvolvimento do cérebro decorre da integração do corpo com o meio social, o que acontece durante toda a vida.

Sabe-se que a interferência do ambiente sobre o sistema nervoso causa mudanças anatômicas e funcionais no cérebro, já conhecidas da ciência como: a quantidade de neurônios e a conexão entre eles.

Segundo este conceito, a lógica de trabalho do nosso sistema nervoso pode influenciar muitas de nossas atitudes e entendê-la pode ser útil para o desenvolvimento pessoal e profissional.

Os mecanismos que levam ao estresse, nossas emoções, experiências, a necessidade de ter boas noites de sono e a prática de exercícios físicos são alguns aspectos que correlacionam a neurociência com sua carreira.

Segundo Carla Tieppo, professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo há algumas “pontes” que indicam de que maneira essas descobertas contribuem para a melhoria do trabalho:

1 – O Sono

Dormir, segundo Carla, aumenta a capacidade de memorização, atenção e concentração.  “Para esses dois últimos itens, a razão é simples: o cérebro precisa de energia e o sono é o melhor meio para recuperá-la.” O período entre 6 a 8 horas de sono proporciona entre 5 a 6 ciclos de 90 minutos do chamado sono R.E.M., em que a memória e aprendizado são consolidados. “Quanto menos sono, menos tempo mergulhado neste sono”. Resultado? Menos capacidade de memorização e, consequentemente menos condições para aprender.”

2 – As Emoções

Engana-se quem pensa que na hora de decisões profissionais, o que você sente deve ser colocado de lado. De acordo com a especialista, quando bem gerenciadas, as emoções podem ser guias valiosos para as escolhas.

“As experiências de uma pessoa são traduzidas em sinais emocionais que se acumulam.” diz Carla. “Saber ler suas emoções faz com que elas não tomem conta de você, faz com que você as transforme em algo que pode ser manipulado pela razão e, portanto, um dado útil para a hora de tomar decisões”.

3 – Hábitos sadios

A excelência em suas atividades profissionais só será conquistada se você treinar. “Ela não vem por um passe de mágica”, diz a especialista. “Você só vai ser disciplinado se toda manhã se comprometer com a disciplina”. E não adianta teimar na história de que você nasceu assim e será sempre assim. Segundo o conceito de neuroplasticidade, o cérebro se modifica, então é possível dizer que todo mundo pode se modificar.

Segundo a especialista, para “economizar” energia, o sistema nervoso possui alguns sistemas automatizados. Esta reação automática é o seu hábito.

Por isso, não basta apenas dizer palavras positivas (que até podem ter um efeito de motivação importante).

É preciso praticar e se comprometer com a formação do seu novo hábito, afirma Carla.

4 – Ame seu Trabalho (ou crie um sistema de recompensas)

Pessoas bem sucedidas são apaixonadas pelo que fazem. “A motivação é a base emocional que provoca o comportamento”, diz Carla Tieppo. “O aumento da dopamina faz com que seu sistema seja guiado para a ação”. Se isto não faz parte do seu momento atual, projete para o futuro algo que o motive e que depende do que você vive hoje para ser realizado.

5 - Os exercícios físicos

Os exercícios físicos desafiam seu corpo; estimulam a recuperação; ajudam a aumentar a sua capacidade cognitiva porque elevam o suprimento sanguíneo para o cérebro; produz alterações bioquímicas; proporcionam sensação de bem estar. “Cada vez que você faz uma atividade física é como se você sinalizasse para o seu corpo que você está presente, que você dá conta dos próprios desafios”. (Texto baseado em artigos de Fernanda Salla e Talita Abrantes e conceitos de Carla Tieppo).

 

Emilio Marchetti e Márcio Macarini
Junho/2013